Venda de medicamentos on-line: quais as regras?

01.03.21 13:19 Por Leila

A Legislação é rígida para a comercialização de medicamentos pela internet, mas ainda assim é possível aumentar o faturamento vendendo on-line.

O setor de varejo farmacêutico on-line tem crescido a cada dia, devido a pandemia da covid-19. Seja pela segurança, por não precisar enfrentar filas e ter contato físico com outras pessoas, ou mesmo pela facilidade e a praticidade em poder comparar preços sem precisar sair de casa. Tudo isso contribui para que caísse no gosto popular. 


Segundo os dados apontam, a área de saúde e farmácia é uma das mais promissoras no quesito comércio eletrônico. A compra de remédios por e-commerce cresceu 120,75% em faturamento, de acordo com a Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma).


Com esse crescimento, aumentam também as dúvidas de lojistas sobre como é feita a venda de medicamentos on-line. Existem regras?


No decorrer deste artigo, vamos falar como esses medicamentos podem ser comercializados.


Regras para a venda de medicamentos on-line. Quais são?

Vender remédios pela internet não é a mesma coisa que vender peças de vestuário, por exemplo. Por se tratar de substâncias que afetam diretamente a vida do usuário, existem vários cuidados a serem tomados pelas farmácias antes de iniciar as vendas.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), agência reguladora que faz controle sanitário de produção e consumo de medicamentos, existem algumas condições diferenciadas que devem ser seguidas.

Dentre as várias regulamentações do órgão, a RDC 44/2009 é que dispõe, dentre outros pontos, sobre as boas práticas da comercialização de medicamentos e a prestação de serviços farmacêuticos.

Por isso, as farmácias que pretendem iniciar suas atividades on-line, devem estar com toda a documentação em dia. Além disso, essas informações devem constar na página da farmácia. São elas: 

  • Razão social e nome fantasia da farmácia ou drogaria responsável pela venda;

  • CNPJ;

  • Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE) expedida pela Anvisa;

  • Autorização Especial de Funcionamento (AE) para farmácias, quando aplicável;

  • Licença ou Alvará Sanitário expedido pelo órgão Estadual ou Municipal de Vigilância Sanitária, segundo legislação vigente;

  • Endereço geográfico completo;

  • Horário de funcionamento e telefone;

  • Nome e CRF do Farmacêutico Responsável Técnico;

  • Link direto para exibir informações adicionais, como nome e número de inscrição no Conselho do Farmacêutico;

  • Mensagens de alerta e recomendações sanitárias determinadas pela Anvisa;

  • Condição de que os medicamentos sob prescrição só serão dispensados mediante a apresentação da receita e o meio pelo qual deve ser apresentada.


Dentro de todas essas exigências, uma das principais vantagens de vender por meio do Consulta Remédios, é que a plataforma já está adequada a todas as normas estabelecidas pela Anvisa, por isso, ao ingressar no marketplace, a farmácia pode ficar segura quanto às regras do órgão estatal. 

Propaganda de medicamentos

Além da preocupação com as regras para a venda de medicamentos on-line, é muito importante ler a regulamentação da propaganda de medicamentos antes de colocar seu negócio em prática, para não correr o risco de infringir alguma lei.

De acordo com a RDC 44, citada acima, os remédios que só podem ser vendidos com prescrição médica, não devem ser usados como objeto para publicidade e propaganda, em qualquer página do site.

Além disso, quanto aos medicamentos que podem ser divulgados por não exigirem receita médica, também existem algumas regras, como não incluir frases de cunho publicitário e colocar a frase de advertência do remédio em destaque.

Estas são apenas algumas das normas regulamentadas pela Anvisa. Porém, ao fazer sua parceria com o Consulta Remédios todos esses pontos já estarão alinhados dentro da plataforma de vendas.

De acordo com as normas estabelecidas pela Anvisa quanto à propaganda dos medicamentos no site, devem constar as seguintes informações:

  • Preço;

  • Nome comercial do produto;

  • Princípio (s) ativo (s);

  • Apresentação do medicamento, incluído a concentração, forma farmacêutica e quantidade;

  • Número do registro na Anvisa;

  • Nome do detentor do registro.

 

Além disso, nessas informações não podem haver desenhos, símbolos, imagens, marcas e slogans. Já para medicamentos sem prescrição médica, devem conter frases de advertência em destaque.


Principais vantagens de vender medicamentos pelo Consulta Remédios

Dentro da plataforma de vendas do Consulta Remédios, a sua farmácia irá contar com vários benefícios. Confira!


Página exclusiva da farmácia

As farmácias parceiras contam com uma página personalizada e exclusiva para comunicar todos os seus produtos, com preços e informações dos métodos de entrega disponíveis, para que o usuário possa escolher a melhor forma. 

 

Vitrine on-line 

Através da plataforma do CR, você pode divulgar sua marca, linhas de produtos e todas as informações relevantes para um público seleto, do profissional ao consumidor final. 

 

Resultado de busca

Os itens cadastrados de todas as farmácias aparecem nas buscas realizadas pelos usuários na plataforma do Consulta Remédios, com seus respectivos preços. Por isso, caprichar em promoções fará com que a sua farmácia tenha vantagens competitivas sobre a concorrência. 

 

Campanhas de marketing

O CR investe fortemente em campanhas de marketing voltadas para o incentivo das vendas. São utilizados vários meios para divulgação on-line e off-line, como outdoors, redes sociais e campanhas no Google. 

Além disso, são oferecidos cupons de descontos e frete grátis em determinadas ações sazonais como a Black Friday, Natal, entre outras. Tudo isso faz com que o consumidor tenha a preferência por comprar pela plataforma do CR. 

 Traga sua farmácia para a evolução do varejo farmacêutico!

Venda on-line agora